Sai, sai, sai oh Piaba, sai lá da lagoa…

Em uma das saídas pedagógicas de estudantes da Casa da Amizade para a escola Móbile foi proposta uma atividade com este tema. A piaba, designação comum de vários tipos de peixe de água doce, é conhecida em S. Paulo como lambari. No Recôncavo Baiano foi homenageada por uma cantiga infantil onde as crianças pequenas aprendem as partes do corpo. Ao som da música “Sai, sai, sai oh Piaba” (89) SAI PIABA – YouTube.nossas criancas aprenderam a fazer um adereço divertido de cartolina com fitas coloridas de papel crepom. Essa proposta foi tão legal que a trouxemos para ser realizada com as demais crianças no dia do aniversário da Casa da Amizade, resultando numa espécie de sessão de ginástica artistica improvisada na quadra. (A.P.Q.S)

Sai, sai, sai,
Ó, piaba,
Saia da lagoa.
Bota a mão na cabeça,
A outra na cintura.
Dá um remelexo no corpo,
Dá uma umbigada
No outro.

IMG_20220819_153808870
IMG_20220819_153910453_HDR
IMG_20220819_153933882_HDR
IMG_20220819_153955100_HDR
IMG_20220819_153621383
IMG_20220819_153852198
IMG_20220819_105851
previous arrow
next arrow

Passeio ao Zoo

Que sábado gostoso!!

Fomos com os alunos de 1o e 2o ano ao zoológico para ver os bichos que tanto aparecem nas aulas de contação de estórias. Estava combinado para irmos de manhã, mas um dia antes decidimos ir à tarde porque a previsão do tempo era de chuva no período da manhã e à tarde iria aparecer o sol entre as nuvens. E foi exatamente isto que aconteceu!

No ônibus a animação estava ruidosa mas as crianças foram sentadas com o cinto de segurança e se comportaram muito bem.

Decidimos primeiro ver os bichos grandes mas durante o trajeto parávamos de vez em quando nos lagos para ver as aves, os gansos, os cisnes e os flamingos. Também paramos para ver as araras que estavam gritando para chamar a atenção de todos que ali passavam. Depois numa caminhada mais focada e direta chegamos ao primeiro bicho grande, a girafa. Lá estavam elas pertinho da gente! Que emoção! Dali em diante eram só animais grandes: a leoa, o leão, o hipopótamo, o elefante, a onça!! Aí foi uma farra, tiramos muitas fotos! Conseguimos no final passar para ver as cobras e o formigueiro. Que tarde gostosa e divertida!! (A.M.A.C.)

a caminho
estudando o trajeto
jacarés talvez
flamingos
paradinha
onça
dromedário
maior animal terretre da Ásia
cisnes
amigos
avestruzes
formigueiro
cobras
poster do leaozinho
2022-09-17 tchau!
previous arrow
next arrow

`

Carta para D. Pedro I

Semestralmente aplicamos em nossos alunos uma avaliação externa adaptativa on line, desenvolvida pelo Instituto Alicerce. Na última aplicação, em julho/22, constatamos que muitos estudantes desconheciam o gênero textual “carta”. Trabalhamos matéria da revista “Qual é – para crianças que querem saber de tudo” (edição 51 / 15@29/ago/22) e fizemos com as crianças uma leitura coletiva sobre o traslado do coração de D. Pedro I para o  Brasil. O desafio proposto então para os alunos não poderia ser outro – escrever uma carta para D. Pedro I! O resultado foi muito interessante e vale a pena ler alguns dos exemplos abaixo, que não deixaram de incluir saudação e despedida…

PS: houve até uma criança que relatou que vai ficar aguardando resposta de D.Pedro… rs..rs (M.A.F.M.)

http://casadaamizade.org.br/wp-content/uploads/2022/09/REVISTA-QUAL-E-ED-51.pdf

Y.R.S. 12 anos, 6oEF
J.L.A.S. 13 a, 7o EF
R.B.L.F. 11 a, 6o EF
J.A.S.S. 12 a, 7o EF

A.L.S. 11 a, 6o EF

Respeito é bom e todo mundo gosta …

Inclusive os estudantes da Casa da Amizade, que nessa semana, durante as aulas de projeto, explicaram o seu entendimento sobre a palavra “Respeito” e expressaram isto através de um cartaz.  A ação faz parte de uma sequência de atividades relacionadas aos temas de Respeito às Diversidades, Cultura Afro-brasileira e Educação Anti Racista (um breve spoiler do que está por vir…rs).  Na verdade, nós crescemos ouvindo que devemos respeitar os pais, as leis, o próximo. Mas será que sabemos o que realmente isso significa? Será que conseguimos representar de forma efetiva para as nossas crianças? Respeito: no dicionário “ato de respeitar, acatamento”. Na prática: aprender a conviver, seja em sociedade, em família, dentro de uma comunidade escolar ou num relacionamento amoroso. Enfim, seja qual for a situação, independentemente da história, da origem, das crenças, do modo de ser, o outro é e sempre será um ser humano digno de respeito. A vida de qualquer pessoa, a expressão única de seu ser é digna de respeito e não cabe a ninguém julgá-la ou desmerecer. Ao trabalharmos com educação, temos a responsabilidade de fazer com que o mundo seja um lugar melhor – por isso ser uma referência para as nossas crianças é fundamental, para que eles se tornem adultos éticos e cuidadosos com o meio ambiente, com as pessoas e com o mundo ao seu redor! (K.M.O.C.G.)

Aniversário de 27 anos da Casa da Amizade

Não se trata mais de uma menininha: a Casa da Amizade é uma instituição que já amadureceu mas preserva o vigor da juventude e a eterna vontade de fazer um Brasil melhor e mais justo, Por isso fazemos questão de celebrar sempre o aniversário em agosto com um dia de festa. É pelo orgulho de ser brasileira que começamos sempre com o Hino Nacional, para relembrar os vinculos que todos temos com nossa terrinha, não só nas paradas ou nos estádios de futebol… Vinculos que incluem direitos e deveres ligados à cidadania e ao bem da coletividade. (M.A.F.M.)

Imersão de conhecimentos

Foi assim o nosso encontro com os pesquisadores do projeto “Equidade urbana em territórios do precário: ações socioespaciais participativas em Paraisópolis”, vinculado ao Programa de Inclusão e Diversidade Social na USP e seus campi, Pró-reitoria de Cultura e Extensão Universitária. Seus coordenadores, os professores Manoel Rodrigues Alves (da FAU-USP) e Carlos Arturo Navas (do Insituto de Biociencias da USP) procuraram a Casa da Amizade e o ProSaber, convidando nossos estudantes a participarem de uma oficina de reconhecimento e pertencimento do território e Paraisópolis. A proposta era fazer nesta manhã de sábado um estudo do meio para conhecer o problema urbanistico e sanitário mais grave da comunidade: o Córrego do Antonico, palco inclusive em out/21 de um trágico desabamento de moradias instaladas sobre o corrego, que resultou em uma morte. Até então estávamos supondo que o estudo do meio seria uma atividade simples – não imaginávamos que se tornaria um evento denso, catalisando aprendizagem significativa para uma turma de crianças que na Casa da Amizade vinham estudando a Poluição dos Rios, em preparação para a XVII Mostra Cultural de Paraisopolis (tema Águas). Além das crianças da Casa da Amizade e Prosaber, participaram também estudamtes de graduação e pós graduação da USP, que ajudaram a compor um time de 50 curiosos interessados em explorar o territorío. Começamos fazendo a pé o trajeto da Casa da Amizade até o córrego do Antonico, com muita observação e registros. Paramos na Academia do Diniz, na área conhecida localmente como Caixa Baixa., para que pudéssemos ouvir de lideres comunitários locais – Guga e Diniz, que tambem fazem parte do Conselho Gestor de Urbanização de Paraisopolis – um pouco da história do córrego e da situação dos moradores do entorno. Para a alegria das crianças, tivemos até uma mini-aula de artes marciais – nem é preciso dizer que a meninada adorou! Fizemos novamente a pé (cerca de 25 min) o percurso de volta e já na Casa da Amizade, depois do lanche, iniciamos o estudo do grande mapa (fotografia aérea) disposto no centro da sala. A proposta era que as crianças pudessem reconhecer o território, identificando suas casas e as escolas que frequentam, os cenários que as incomodam, o que gostam, o que queriam melhorar no territorio e o que poderia funcionar como um bom local para brincar. Quando o assunto em questão foi a água do córrego, muitas falas surgiram. Ainda que não estivesse no roteiro da oficina, as crianças da Casa da Amizade quiseram orgulhosamente apresentar o filtro de carvão produzido durante aulas recentes de projeto. Foi gratificante saber que aparemente conseguimos atingir as expectativas do grupo de pesquisadores e ao mesmo tempo ir de encontro à finalização de um dos nossos projetos do contraturno escolar sobre Poluição da Água, a ser apresentado na XVII Mostra Cultural de Paraisópolis. No “day after” à oficina fizemos um exercicio muito interessante: os alunos que não participaram no passeio ouviram o relato daqueles que participaram e trabalharam sobre as fotografias aéreas do território para localizar onde moram e onde estudam. Este movimento sem dúvida promove o senso de pertencimento das crianças… Saber que a Casa da Amizade contribuiu para a realização de um proposta tão nobre nos faz acreditar mais uma vez que estamos no caminho certo, à luz da educação sempre (K.O.C.G).

Fotografado por Grazielle Santos_-12
025_Oficina02 13ago22_Cartaz final divulgação (2)
20220810 Corrego do Antonico
paraisopolis-desabamento-17out21
Fotografado por Grazielle Santos_-13
Fotografado por Grazielle Santos_-21
Fotografado por Grazielle Santos_-19
FOTO 4 20220803_144811
FOTO 6 20220803_145707_HDR
2022-08-15 foto 2
2022-08-15 foto 1
previous arrow
next arrow

Férias em Movimento

Pensando no direito ao esporte e lazer, planejamos para o período de férias de Julho, durante o período de recesso da escola regular e do programa de Apoio Escolar da Casa da Amizade, duas semanas de esportes recreativos e brincadeiras. Para nossa faixa etária de 7 a 14 anos montamos uma grade ampla com atividades variadas para contemplar a todos. Nosso objetivo foi proporcionar momentos de ludicidade, lazer e bem-estar, por meio de atividades esportivas e recreativas, como jogos, brincadeiras e atividades culturais, estimulando os aspectos cognitivos, sócio-afetivo e motor.

1o dia: foi pensado no resgate de brincadeiras antigas e regionais, como por exemplo: pião, bolinha de gude, amarelinha africana entre outras brincadeiras, sempre trazendo a origem e explicando para os estudantes sobre suas raízes, assim transmitindo e trocando conhecimento.

2o dia: ainda com a proposta de resgate de brincadeiras expandindo conhecimento cultural, trouxemos brincadeiras não tão antigas, porém que alguns de nossos alunos nunca haviam brincado, como amarelinha e “cidade acorda“. Eles amaram a farra, eufóricos particularmente pela chance de mediar a brincadeira “cidade acorda“.

3o dia: tivemos a proposta do jogo “missão quase impossível” para motivar a realização dos desafios coletivos e individuais com a construção de estratégias.

4o dia: foi dedicado ao tradicional pega-pega e suas variações, como por exemplo: pega-pega gelo, americano, corrente, nunca três e etc. Tivemos tambem uma oficina de pintura na telha. 

5o dia: em um passeio para apropriação de territorio, fomos a pé até o Beco Visceral, localizado na própria comunidade de Paraisópolis. Trata-se de galeria de fotograifa que conta com diversos retratos/ fotos dos becos e vielas ao nosso entorno e seus moradores. As crianças ficaram encantadas com as fotos; o fato das crianças conhecerem a maioria dos lugares fotografados deixou tudo mais especial. Tivemos a vivência de conhecer e tocar nas câmeras, desde as mais antigas até as câmeras atuais – nossos estudantes amaram a experiência.

6o dia: começamos nossa segunda semana com uma atividade recreativa – boliche humano – uma brincadeira que as crianças adoram.

7o dia: foi da tão tradicional queimada, porém com variantes como queimada líder, queimada abelha-rainha, queimada frisbee (uma adaptação criada por uma de nossas educadoras). Além de divertido, podemos trabalhar coordenação motora, estratégia e trabalho em equipe.

8o dia: dedicado a um torneio de futsal. As crianças já chegaram super animadas e deixamos elas trabalharem o livre-arbítrio – elas próprias escolheram os times e decidiram as regras do torneio.

9o dia: desta vez foi um torneio de vôlei para contemplarmos as preferencias diversificadas do grupo. Na mesma filosofia do torneio de futsal, nossos estudante criaram seus times e decidiram as regras do torneio.

10o dia: para fecharmos com chave de ouro a programação doFerias em Movimento, tivemos mais um passeio no território. Com intenção de nos apropriamos das áreas de lazer de nossa comunidade, fomos visitar a piscina do CEU Paraisópolis, onde as crianças aproveitaram bastante o dia de sol na piscina, com direito a piquenique com bolo, suco e fruta para repor as energias. Agradecemos a parceria do Walter, novo coordeandor de Esportes do CEU.,

Assim foram nossos dias de férias, proporcionando trocas de experiências e colocando os alunos em diferentes situações para exercitar a cooperação e responsabilidade, explorar seus limites e estimular o potencial criativo de nossos alunos.

Queremos replay em 2023! (L.R.S./A.M.S.)

Passeio ao cinema

O programa de hoje foi direcionado aos 9 finalistas do concurso interno da Casa da Amizade para logotipo da XVII Mostra Cultural de Paraisópolis. Estando 3 dos finalistas em viagem (snif…), nossa expedição envolveu 6 premiados (entre 6 e 14 anos) e uma monitora. Cada um deles estava orgulhosamente vestido com uma camiseta estampada seu desenho premiado, com que tinha sido presenteado sob aplausos na festa junina. A seguir leiam o depoimento da professora Amanda, feito junto com a aluna Maria Eduarda, que lideraram esse passeio mágico.


“Foi um dia sensacional. Saímos da Casa da Amizade por volta das 12h rumo ao shopping Jardim Sul. Chegando lá logo fomos lanchar (um momento de interação muito divertido!). Na sequencia fomos assistir “Minions 2: o retorno de GRU”, um filme que as crianças amaram e deram muitas risadas – saíram encantadas com a experiência. Tomamos um sorvetinho enquanto esperávamos a van nos buscar; as crianças se comportaram muito bem e adoraram o passeio. Uma pena que a COVID nos privou da costumeira companhia de nosso voluntário e patrocinador André – nossos votos de breve recuperação, André! (A.M.S. e M.E.S.N.C.)

da esq para direita - Duda, Levy Deivid, Miguel, Deyvid Luan, Emily, Ariely
Ariely, Emily, Levy Deivid
Arielly, Emily, Levy Deivid, Deyvid Luan, Miguel Carvalho, Duda
esperando o filme
da-dir-para-esq-Amanda-Duda-Levy-Deivid
previous arrow
next arrow

Brinquedos e brincadeiras

Fizemos hoje o encerramento do primeiro semestre com a Escola Móbile – foi nossa última saída pedagógica do semestre para a Móbile. Nossas crianças tiveram o prazer de assistir, em primeira mão, uma apresentação de brinquedos e brincadeiras, organizada por Gabriela Romeu, em uma belíssima exposição coletada ao longo de uma viagem dela durante 10 anos. Em suas viagens Gabriela coletou brinquedos feitos pelas mãozinhas das próprias crianças, além de relatos lindíssimos das crianças e suas famílias. É claro que nós da Casa da Amizade podemos, de forma lúdica, aprender um pouquinho sobre a cultura e costumes das regionalidades do nosso Brasil. Através dos olhos de Gabriela, nossas crianças se impressionaram com os vídeos apresentados e tambem com os brinquedos, dentre carrinhos de latas, bonecas de pano, pau e sabugo. Puderam perceber que não se precisa ter muito para poder brincar – nossas crianças tiveram a oportunidade de sair do celular e brincar, construindo um próprio brinquedo! (F.H.A.)

20220627_153218